• +55 (92) 4102-1171
  • contato@fazz.art.br

Category ArchiveHistoria

8 de Janeiro – Dia Nacional da Fotografia e do Fotógrafo

HOJE É…
Dia Nacional da Fotografia e do Fotógrafo!
Screen Shot 2020-01-08 at 07.37.11
O daguerreótipo foi anunciado em 7 de janeiro de 1839 e quase quatro meses depois noticiado no Jornal do Commercio aqui no Brasil, mas a apresentação oficial do equipamento foi em 19 de agosto de 1839 na Academia de Ciências da França.
A data do dia 8 de janeiro, o dia Nacional da Fotografia ou do Fotógrafo, é controversa. Seria o dia em que foi apresentado a Dom Pedro II, o primeiro daguerreótipo a chegar no Brasil. Não há precisão na data, mas abaixo transcrevo, o anuncio do Jornal do “Commercio” de 17 de janeiro de 1840 a chegada do Daguerreótipo no Brasil.
 
————————————————————–
Noticias Scientificas – Photographia
————————————————————–
Finalmente passou o daguerrotypo para cá os mares, e a photographia, que até agora só era conhecida no Rio de Janeiro por theoria, he-o actualmente tambem pelos factos que excedem quanto se tem lido pelos jornaes tanto quanto vai do vivo ao pintado.
 
Hoje de manhãa reve lugar na hospedaria Pharaoux hum ensaio photographico tanto mais interessante, quanto he a primeira vez que a nova maravilha se apresenta aos olhos dos Brazileiros. Foi o abade Combes quem fez a experiencia: he hum dos viajantes que se acha a bordo da corveta franceza l’Orientale, o qual trouxe comsigo o engenhoso instrumento de Daguerre, por causa da facilidade com que por meio delle se obtem a representação dos objectos de que se deseja conservar a imagem.
 
He preciso ter visto a cousa com seus proprios olhos para se poder fazer idéa da rapidez e do resulsado da operação. Em menos de nove minutos o chafariz do largo do Paço, a praça do Peixe, o mosteiro de S. Bento, e todos os outros objectos circumstantes se acharáõ reproduzidos com tal fidelidade, precisão e minuciosidade, que bem se via que a cousa tinha sido feita pela própria mão da natureza, e quase sem intervenção do artista. Inutil he encarecer a importância da descoberta de que já por vezes temos ocupado os leitores; a exposição simples do facto diz mais do que todos os encarecimentos.
————————————————————–
 
Qual a data correta? relaxa… pois a história é longa e ainda teríamos que falar de Hercules Florence. Por enquanto o importante é comemorarmos e seguir apaixonados por fotografia. Um dia conto essas histórias.

Retorno das Férias.

Fim das férias, hora de voltar ao trampo, mas antes….

Amanhã a noite já estarei em solo Manauara. Nessas férias teve de tudo, mas alguns contrastes fizeram dessa viagem uma das mais interessantes e com absorção de cultura fantástica e olha que vi só um pouquinho.

Saí do mar e fui ao sertão, passando pelo agreste ou ainda, saí de zero metros de

Pico do Papagaio

Pico do Papagaio, ponto mais alto de Pernambuco

altura e fui até 1.260m no Pico do Papagaio (foto), ponto mais alto de Pernambuco.
Conheci a feira de Caruaru e terminei dormindo num convento em Triunfo, Ô cidadezinha encantadora essa. Vi pedras, vi água, vi paisagens inesquecíveis.

Fui para Pernambuco, mas também pisei em terras alagoanas e paraibanas. Visitei museus, naveguei pelos rios da Veneza Brasileira, vi muitos castelos, vi a terra seca, entrei em lugares por onde Lampião e seu bando passaram. Fui a casa de Mestre Vitalino e conversei com o filho dele que me contou algumas histórias.

Senti o clima do sertão, calor e a secura durante o dia, mas a noite é super agradável com temperaturas em torno de 23 graus e ventos frios.

Não tenho como agradecer o apoio da família da minha esposa, Marcela Aureliano Inojosa, que deixou de lado seus afazeres e me levaram para conhecer lugares e histórias fantásticas. Vocês foram fantásticos e me mostraram um nordeste que pulsa cultura em todos os níveis. Uma terra encantadora. Valeu!!!

Um agradecimento especial ao amigo Alvaro Severo que saiu de sua cidade para um bate-papo super agradável em Triunfo. Como sempre falamos de fotografias e projetos. Fora as aulas de história do sertão que ele contou.

Depois conto mais…